Professor, publique aqui!

Para publicar nesse blog envie E-mail p\ blogdoprofessor.postar@blogger.com Cc peutzenfc@yahoo.fr

Se for REGISTRADO publique aqui

Não é registrado no blog (registre aqui)



sábado, 14 de julho de 2007

Decreto reduz a classificação das RME

Vejam os decretos e portarias que regulamentam a classificação das escolas:
 
 
 
 
 
Classificação anterior das escolas:
 
 
Classificação atual das escolas:
 
 
 
Pra variar, essas mudanças, também, podem resultar na diminuição das verbas para as escolas. Se eles adotam esse índice, como querem fazer, para definir os salários dos professores, será o caos!!!
É a "lógica" absurda do gerenciamento de empresas (que costuma não dar certo nem por lá) aplicado ao gerenciamento de escolas. Já viram coisa mais Neo Liberal que essa? Só os desavergonhados desse partido para fazerem coisa tão inepta! E olha que não tenho tanta birra com sistemas de gerenciamento que premiem pelo mérito e iniciativa! Contudo, o sistema (se existe um) adotado pela prefeitura  distorce essa relação de mérito. Ele não privilegia a qualidade do ensino e sua aprendizagem, desconsidera as dificuldades que a escola enfrenta, em razão dos problemas que a comunidade possui . Ele premia somente a adequação a parâmetros simplórios e superficiais e não procura investir, tendo em vista as necessidades e o baixo nível de escolaridade e desenvolvimento social da comunidade estudantil e suas famílias ! Nossas escolas estão virando uns Frankeinsteins, graças a estupidez e despreparo (falta de estudo, mesmo) desses gerenciadores inumanos! Esse problema também foi herdado da LDB, que possui alguns artigos totalmente estúpidos como o que define a que nível de escolaridade deverá se incumbir cada esfera de governo. Alguém pode me explicar por que uma prefeitura não pode investir na educação de nível médio, havendo essa demanda em suas escolas? Esse tipo de gerenciamento aposta na bem aventurança, na boa vontade gratuita dos professores e funcionários e na pseudo gratuidade dos serviços prestados pelas ONGs para educar. O único objetivo está mais do que claro, é cortar gastos para, na outra ponta, gastar com propósitos eleitoreiros, para financiar as bolsas esmola, a compra dos eleitores. Quem tem mérito e iniciativa, termina desistindo, tanta falta de razoabilidade e tanto baixo nível!
Por isso que o Lula foi vaiado no Maracanã. Desfilou a semana inteira com corruptos, a quem está e esteve sempre associado, de rabo preso: Calheros, Severinos etc. Os investimentos em obras, ou não acontecem, ou se esvaem em obras desnecessárias, não estratégicas e na corrupção. Gasta horrores com os apadrinhados e companheiros, tornando a máquina pública dispendiosa demais. Investimentos são irrisórios, ineficientes,  em vista da arrecadação e dos gastos com a máquina pública. E ainda vem economizar em setores que poderiam tirar o país desse atoleiro e inércia: a educação que já é horrível, em razão do despreparo das equipes, falta de escolaridade, de estudo, de humildade para estudar, ou,  pelo menos, investigar, pesquisar aquilo sobre o qual não se sabe ou que se sabe pouco.
E, então, pra não ser atingido por cidadãos descontentes, impede (sem aviso prévio) que o público leve alimentos à abertura do PAN, no Maracanã, e deixa todo mundo, até crianças, famintas: um presidente do FOME ZERO !!! Pior, foi não ter aberto os jogos, o que revela o quanto o cidadão Lula não sabe lidar com o estado democrático de direito que permite esses arroubos de lucidez aos cidadãos comuns, permitindo-os se manifestar quando insatisfeitos. Contudo, para ele, o presidente, só ele pode se manifestar  (o Fidel pernambucano) e a gente que tem de agüentar calado, as asneiras que ele diz em público, seja por falta de conhecimento, ou por falta de humildade, ou por ser mal assessorado, ou por achar, agora, que tudo terminou mesmo, em pizza (não para o povo), ele pode falar pelos cotovelos, de improviso, sem a menor reflexão, como a gafe que cometeu ao fazer uma analogia que quis nos fazer acreditar que, para a galinha, é difícil e complicado botar um ovo. Difícil, senhor Lula, é o senhor e o nosso prefeito não tomarem ovo podre, na cara!
 
Woodson FC

Um comentário:

BLOGDOPROFESSOR disse...

Woodson,
você falou no Dom Orione. Há pouco tempo ele era nível C, padrão mais alto para fins de classificação dos cargos de diretor, vice e secretário escolar. As Leis e Decretos posteriores você já colocou. No Plano de Carreira da Educação (Lei 7.235/96)constava a classificação das escolas da seguinte maneira: A, B, C. A - Em escolas com menos de 700
alunos
B - Em escolas com 700 a 1400
alunos
C - Em escolas com mais de 1400
alunos
Portanto, os vencimentos eram maiores para escolas com mais alunos.O Dom Orione continua com muitos estudantes: mais de mil (vide no DOM de 14/07/2007 o nº de alunos das escolas).
A Secretaria de Educação do Município mudou o artigo da Lei, assim a classificação modificou.
Vários diretores/as estão abrindo o EJA e a Educação Infantil, que somam pontos, a fim de garantirem melhores níveis. Na certa professores terão problemas em um futuro próximo. O pessoal da Educação Infantil não consta como Professor na Lei. Assim, ao abrir a Educação Infantil, obviamente os outros terão que sair se o nº de salas for insuficiente. A prioridade, no caso, é do
"Educador Infantil". No EJA a prioridade é de alfabetizadores.
O problema do segundo grau na RMBH é que ele praticamente inexiste.A oferta ficou para o estado(fruto da antiga municipalização). Na Pampulha, parece que somente a sua escola o oferece. A tendência é acabar. Só não acabou de vez porque a secretária do estado (Vanessa Guimarães)impediu. Não havia escolas suficientes para a demanda e construir leva certo tempo. Mas foi estabelecido um prazo.
O mesmo que aconteceu com a mudança na classificação de escolas vai acontecer com cursos de pós-graduação, seja stricto ou lato sensu. Mudando as regras piora para quem busca melhorias salariais, haja vista que nem todos podem entrar em um lato sensu de peso, ou passam em um "bom" stricto sensu.
É isso, se estou enganada deixem o recado para eu ficar por dentro.
Atenciosamente, Modesta Trindade.